Oficina Brasil


Spacefox 2008 com marcha lenta irregular 

Veja como foi resolvido o problema do modelo da Volkswagen

Compartilhe
Por Da Redação


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

Volkswagen

Defeito

O modelo da Volkswagen, modelo Spacefox, ano 2008, chegou à oficina apresentando marcha lenta irregular. 

Iniciando o diagnóstico, o reparador conferiu o ponto de sincronismo do motor, os bicos injetores e os sensores MAP e de temperatura, mas nenhum deles apresentava defeitos. 

Diagnóstico

O reparador relatou que conferiu também a bomba de combustível, a bobina, as velas e os cabos de vela, verificou também o módulo e o TBI. Após verificar todos os componentes citados, constatou que a sonda quando em marcha lenta apresentava valores abaixo dos especificados, mas ao acelerar o veículo a sonda trabalhava perfeitamente. 

Ao ler seu relato, um primeiro companheiro de profissão recomendou que ele fizesse o seguinte procedimento: com o carro em marcha lenta injete lentamente descarbonizante direto no TBI e acompanhasse a reação do motor, se ele alterasse a lenta significaria que o veículo apresentava uma falsa entrada de ar, uma falta de combustível devido a baixa pressão da bomba e/ou algum bico injetor entupido. 

Um segundo reparador pediu mais detalhes sobre o defeito do veículo, também questionou qual era a tensão da sonda, como estava a regulagem do motor e se havia sido verificada a vedação dos cilindros e feitos testes de pressão e vazão de combustível. 

O reparador respondeu seus colegas informando que já havia realizado teste de pressão e de vazão da bomba e bicos injetores, complementou ainda que colocou outro veículo do mesmo modelo lado a lado para realizar testes comparativos, mas não encontrou nenhuma falha e que a única falha acusada no scanner é referente a sonda lambda. 

Outros dois reparadores apontaram sincronismo, entradas falsas de ar e bicos injetores, além de questionar se foi feito ajuste básico no corpo de borboleta e também se havia sido comparado, entre os dois veículos, os valores de pressão no coletor de admissão e completaram recomendando a troca cruzada do sensor MAP. 

O reparador tornou a responder seus colegas dizendo que já havia feito as comparações e trocas cruzadas que recomendaram, e que também já havia sido feito ajusto no corpo de borboleta. Completou relatando que tudo que os reparadores haviam recomendado, ele já havia realizado e que tinha certeza de ser um defeito colocado, pois o carro havia chegado de outra oficina. 

O terceiro reparador ainda retornou a resposta do seu colega e recomendou verificar se o líquido de arrefecimento é novo e se não havia indícios de superaquecimento, se não havia algum indicio de pequeno calço hidráulico, pois já havia pego um caso parecido no qual a biela estava torta e só apresentava sintomas na marcha lenta. 

O reparador retornou novamente, informando que o A/F do carro estava correto e que ao injetar descarbonizante a marcha lenta ficava correta e estável e que iria verificar o ponto do calço hidráulico, pois era um veículo que já vinha de outra oficina e após a manutenção no motor ficou parado um período de tempo. 

Mais um reparador solícito  ajudou seu companheiro de profissão: recomendou testar o catalisador e informou que se ele estiver muito aberto a sonda trabalha com a leitura muito baixa, que em alguns carros chega a acender a luz acusando a sonda mesmo com todo o sistema em perfeito estado de funcionamento e integridade. 

Solução

O reparador respondeu agradecendo a informação, e informou que realizou vários ajustes no veículo e havia tido uma melhora significativa, mas ainda não estava em perfeito funcionamento, todavia com o proprietário apertando, o reparador liberou o carro para o cliente rodar e solicitou que retornasse em alguns dias para que ele finalizasse o serviço. 

Alguns dias depois o reparador retornou ao Fórum para dar uma resposta a seus companheiros de profissão que tanto lhe auxiliaram. 

Pediu desculpas pela demora no retorno, mas era devido ao cliente estar com o veículo e complementou informando que o problema de fato era uma entrada falsa de ar no coletor de admissão, após realizar a troca do coletor de admissão, o carro voltou a funcionar normalmente, sendo então liberado para o cliente por definitivo. 

Comentários