Oficina Brasil


Sedan Renault Sandero Zen com motor 1.6 e câmbio manual é eficiente e tem manutenção fácil

O modelo avaliado foi fabricado em 2020 e a Renault conseguiu produzir um carro equilibrado, foi isso que os nossos reparadores descobriram ao dirigir e observar os componentes de maior manutenção

Compartilhe
Por Antônio Gaspar de Oliveira


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

O Sandero Zen representa a terceira geração que já utiliza a nova plataforma e mesmo sendo o modelo de entrada, reúne atrativos como desempenho e economia, conforto, segurança, manutenção fácil e econômica, seguro com valor reduzido e o destaque está no novo visual.

É um dos modelos preferidos pelos profissionais de transporte de aplicativos e presente em todas as locadoras de veículos, por ser um carro confiável e que atende às necessidades dos clientes.

Mesmo com o avanço da utilização de transmissão automática, que visa mais conforto no transito urbano, o câmbio manual ainda tem a preferência de muitos motoristas que gostam de ter o pleno controle durante o uso do carro. 

A Renault acertou no conjunto composto pelo motor de 1.6 litros e câmbio manual de cinco marchas, muito bem escalonadas que garantem o bom desempenho e com economia de combustível.

As inovações são sempre bem-vindas pois tornam os carros mais atrativos e o mercado reage com as compras e quanto mais carros rodando, mais serviços serão gerados para as oficinas. 

Neste caso, o setor da reparação automotiva tem a vantagem de já conhecer a mecânica deste modelo, que foi aplicada em outros carros da marca lançados anteriormente.

Seguindo pelas ruas de São Paulo, chegamos pela avenida Morumbi na oficina Motor-Car e fomos recebidos pelo Mauro, que tem resistido heroicamente às mudanças de mercado para manter a oficina funcionando. 

Em atividade desde 1982, a Motor-Car tem amplo espaço e equipamentos adequados para atender veículos de todas as marcas e modelos.

A década de 80 foi a melhor época para ganhar dinheiro com oficina mecânica, lembra o Mauro ao comentar sobre as atividades da oficina até os dias atuais, que exige estratégias comerciais diferenciadas para continuar atuando no setor da reparação automotiva. 

Do Morumbi para Santo Amaro, visitamos a oficina 3E Motors, que é especializada em veículos franceses e o Eric nos ofereceu toda atenção durante a avaliação do Sandero Zen.

Em atividade desde meados de 2009, a oficina é coordenada pelo Eric e pelo irmão Eder, que acumularam muita experiência enquanto trabalhavam em concessionárias. 

A oficina atende todas as marcas de veículos, mas a dedicação maior é para os veículos Peugeot, Renault e Citroen. Esta estratégia de atendimento focado nos veículos de origem francesa é justificada pela formação técnica dos proprietários e dos funcionários na rede de oficinas autorizadas das três fabricantes. 

Outro fator que contribuiu na decisão de atender estas três marcas de veículos está na aquisição de equipamentos dedicados para diagnósticos dos sistemas eletrônicos. 

Além de fazer reparos nos veículos e aplicação de peças, a 3E Motors tem atividades no segmento de comércio eletrônico de peças automotivas que contribui no faturamento da empresa.

Para facilitar o entendimento dos clientes e na aprovação de orçamentos, o Eric montou um painel com as peças que geralmente são aplicadas nas manutenções. Com uma explicação sobre o funcionamento de um ou mais componentes, o cliente percebe a importância da manutenção que garante o bom funcionamento do veículo.

Na parede ao lado tem outro painel que é para o controle do andamento dos serviços que geralmente é visto em concessionárias, é mais uma evidência da origem da formação técnica da equipe.

Na Injecar, que fica no bairro Paraíso, o Adilson nos atendeu com toda a sua gentileza e durante o percurso fazendo o teste no Sandero Zen, ele revelou que já teve uma vizinhança interessante que foi a fábrica de cerveja Brahma, onde ele podia estacionar todos os carros ao lado da fábrica porque o muro era do comprimento do quarteirão e não tinha briga por espaço na rua.

Pesquisando na internet, encontramos imagens da época e um texto que fala sobre um tempo em que a cidade de São Paulo era mais gentil, o Adilson aproveitou muito bem esta época, pois atualmente no mesmo local da fábrica existe um conjunto de prédios. 

A Injecar teve início na rua Apeninos 765, que era parte do fundo da fábrica de cerveja, atualmente neste endereço tem a Injecar estética e na rua Arujá 46 tem a loja 2 que oferece todos os serviços de mecânica, elétrica e eletrônica.

Na atividade desde 2001, a Injecar se consolidou no mercado da reparação automotiva, ampliou a equipe e a quantidade de clientes e era necessário mais espaço para oferecer um melhor atendimento, com isso, foi criada a loja 2, onde o Adilson nos atendeu gentilmente.

Primeiras impressões

O Mauro, com a sua experiência na reparação automotiva, queria ver o que tinha debaixo do capô do novo Sandero Zen e ficou feliz ao ver que o carro tem mecânica simples e de fácil acesso para os serviços rotineiros, como a troca de filtros e óleo do motor. 

Ele ainda comentou que para o mecânico produzir mais, depende muito do tipo de carro que entra na oficina e o Sandero oferece facilidade e agilidade que contribuem com o faturamento da oficina.

Para o Eric, que conhece toda história do Sandero desde o primeiro modelo comercializado no Brasil, foi gratificante receber um modelo que ele ainda não tinha feito manutenção.

A vantagem do Eric é que ele tem o conhecimento acumulado sobre o carro e com isso pode avaliar as melhorias aplicadas ou até aquelas que foram mantidas. Para ele o carro continua com o tipo de manutenção amigável, ou seja, fácil e rápida devido aos componentes estarem em locais com acesso livre. 

A questão do acesso é muito importante, pois tem casos em que se gasta mais tempo removendo componentes para chegar na peça, do que fazer a troca da mesma. 

Na Injecar o Adilson já ficou surpreso com um pequeno detalhe no capô do Sandero que é a instalação de um amortecedor (mola a gás) que facilita a abertura e é bastante cômodo para os reparadores que não precisam ficar procurando a vareta para manter o capô aberto.

A bateria especial do Sandero não passou despercebida porque ele sabe que o preço dela é bem mais elevado que as outras. É a bateria EFB (Enhanced Flooded Battery), bateria inundada aprimorada, utilizada nos carros equipados com o sistema start & stop. O valor elevado é justificado pela tecnologia aplicada que garante mais de 85.000 ciclos contra os 30.000 ciclos das baterias comuns.

O câmbio manual também agradou mereceu comentários do Adilson porque ajuda no desempenho e na economia de combustível, além de ser mais robusto e de baixa manutenção. Tudo isso vai ser muito bom para os motoristas que querem um carro bom para trabalhar e com preço acessível. 

Ao volante

Seguindo o padrão das oficinas que possuem suas pistas de testes particulares, o Mauro acelerou pelas ruas do bairro e logo chegou em um local que deveria estar com o asfalto cheio de imperfeições para testar a suspensão do Sandero, mas lá estava a equipe de recapeamento aplicando uma camada nova e o Mauro ficou muito bravo porque a sua pista preferida e cheia de buracos deixou de existir. 

Durante o percurso em trechos de subida, o carro se comportou muito bem, revelando o equilíbrio entre o torque do motor e as relações de marchas que passa a sensação de maior controle por ser um câmbio manual. Por ser um sedan, o carro reúne qualidades como espaço, conforto e bom desempenho, tudo isso vai agradar os proprietários e para nós da oficina, temos um carro com mecânica confiável e a manutenção pode ser feita sem dificuldades, completou o Mauro. 

Dirigir um carro novo é sempre uma nova experiência e o Eric andou com o Sandero Zen pelas ruas próximas da oficina e aproveitou para testar alguns sistemas como o start & stop, diferente dos carros automáticos que tem de acionar o pedal do acelerador para o motor voltar a funcionar, no Sandero com câmbio manual é preciso acionar o pedal da embreagem para o sistema entender que o motorista quer seguir o seu percurso.

Todo sistema foi projetado para desligar e ligar o motor toda as vezes que o sistema entender que o carro está parado e com pedal do freio acionado. Para o Eric o objetivo deste sistema é economizar combustível e também reduzir os níveis de emissões de gases poluentes, mas alguns motoristas não gostam que o motor fique desligando toda vez que para em um semáforo e a solução para isso é um botão que pode ser acionado para desativar a função star & stop.

Não é um sedan de luxo, mas o carro oferece bastante conforto ao dirigir e pensando nos motoristas de aplicativos, o espaço no banco traseiro vai satisfazer os passageiros e para quem tem família, também vai atender plenamente, inclusive com o porta-malas bastante espaçoso.

Continuando no percurso, o Eric lembrou que o fator manutenção é importante para o dono do carro e também para as oficinas e o Sandero tem todas a qualidades para satisfazer os dois de forma bem equilibrada.

O Adilson está mais acostumado a ver carros automáticos com o sistema start & stop e o Sandero com câmbio manual equipado com este sistema gerou curiosidade sobre a capacidade de o sistema entender o risco de ligar o motor com o alguma marcha engatada.

Trafegando pelas ruas e parando em locais com o propósito de observar o motor se desligando automaticamente, logo o Adilson descobriu que ao acionar levemente o pedal da embreagem o motor já entrava em funcionamento.

Repetindo a mesma operação para o motor se desligar, ele propositalmente engatou uma marcha com motor ainda desligado, em seguida pisou no pedal da embreagem levemente e o motor não funcionou. Continuou pisando até o final do curso do pedal e o motor funcionou automaticamente.

Ficamos com a impressão de que o sensor do pedal da embreagem tem dois estágios, um que ativa o motor assim que aciona o pedal levemente quando não tem marcha engatada e o segundo estágio só funciona quando tem marcha engatada e para isso tem que acionar o pedal até o final.

Parece que os engenheiros da Renault pensaram em todas as possibilidades, prevendo a bom do funcionamento do sistema e garantindo a segurança dos ocupantes do carro.

O Adilson gostou do Sandero e aproveitou para passar em frente à primeira oficina e terminamos o percurso na frente da segunda, que é onde ele e sua equipe trabalham bastante para atender os clientes que garantem sempre bastante serviços para todos. 

Motor

Na Motor Car o Mauro só elogiou o motor 1.6 que já é conhecido desde 2017 e oferece uma manutenção que foi planejada para ser simples e rápida, com pleno acesso aos componentes que envolvem as manutenções periódicas. Uma recomendação importante do Mauro é sobre o óleo lubrificante, que deve ser sempre o recomendado pelo fabricante do veículo. 

O cárter é de alumínio, mas tem um sub-cárter de chapa metálica que pode ser substituído sem ter que trocar o cárter inteiro. Visualmente deu para perceber que a troca do filtro de óleo do motor é fácil e sem nenhum obstáculo para impedir o trabalho de remoção e instalação. 

Para o Eric da 3E Motors, que tem um olhar mais técnico sobre o motor 1.6 SCe (Smart Control Efficiency - controle de eficiência inteligente), também conhecido como H4M, o acionamento dos comandos de válvulas por corrente garante eficiência e baixa manutenção deste componente.

Outro item observado foi a correia de acionamento de acessórios que não tem tensionador, pois se trata de uma correia elástica. Tem um detalhe nesta correia, apenas o contato com uma pequena parte da polia da bomba d’água é suficiente para acionar, isso é devido ao projeto da bomba que consome pouca energia para bombear todo o fluido do sistema de arrefecimento, resultando em mais potência para o motor movimentar o carro. 

O Adilson viu que as bobinas e velas de ignição têm o acesso bloqueado pelo coletor de admissão que cobre parcialmente o cabeçote e no caso de manutenção, é preciso fazer a remoção do coletor de admissão porque ele impede o acesso ao primeiro e segundo cilindros. Ele lembrou que nunca se deve instalar as velas de ignição sem conferir a abertura dos eletrodos, mesmo sendo novas e sabemos que elas saem de fábrica com a calibragem, mas a gente nunca sabe o que acontece com as peças até elas chegarem na porta da oficina.

Não é excesso de zelo, mas é recomendável aplicar graxa de vedação elétrica sem silicone antes de instalar as bobinas de ignição de cada cilindro. 

Outro cuidado é substituir as juntas entre o coletor de admissão e o cabeçote e do corpo de borboletas para evitar problemas futuros com entrada falsa de ar.

Também não poderia deixar de mencionar a maravilha que é a remoção e instalação do filtro de ar deste carro, basta apertar as travas laterais e o filtro já está na mão, parabéns para a Renault que facilitou a vida dos mecânicos neste serviço, esse é o

Adilson, sempre animado e feliz com a sua empresa Injecar. 

Transmissão

O câmbio manual tem sido restringido pelo mercado que adotou a comodidade e conforto da transmissão automática, mas tem muitos motoristas que ainda preferem ter todo o controle sobre as marchas aplicadas enquanto estão dirigindo. O Sandero Zen tem o câmbio manual com acionamento hidráulico que o torna mais macio e leve nas trocas de marchas. Foi isso que o Mauro notou e elogiou dizendo que foi uma surpresa ver que o carro não era automático. O câmbio manual deixa o carro mais esperto e responde de imediato quando acelera e foi exatamente isso que deixou o Sandero com um comportamento mais ágil pelas ruas. Aqui na oficina não tem histórico de manutenção neste tipo de câmbio, apenas troca de embreagem que é comum este tipo de serviço aqui na oficina. Se o dono do carro tomar todos os cuidados, vai ter um câmbio para usar por muito tempo, afirmou o Mauro.

Para o Eric da 3E Motors, esse câmbio de cinco marchas casou de forma adequada com o desempenho do motor 1.6, principalmente pelas relações de marchas:

1ª 3,73 - 2ª 2,05 - 3ª 1,39 - 4ª 1,03 - 5ª 0,76 - Ré 3,55 - Relação do diferencial 4,07.

Este acerto é fundamental para o bom desempenho do veículo e para a economia de combustível podendo atingir médias de 12,8 km/l com gasolina e 8,5 km/l no etanol em percursos urbanos, já na estrada sobe para 13,4 km/l na gasolina e 9,2 km/l com etanol, claro que isso pode melhorar ou piorar dependendo da forma de dirigir ou também devido ao peso que está sendo transportado. 

De forma geral o câmbio é muito bom e tem uma melhoria que fizeram no semieixo, instalando uma homocinética interna (tulipa e trizeta) que garante seu funcionamento por muito mais tempo.

Na Injecar a manutenção em câmbios mecânicos não é frequente, mas o serviço de troca de embreagens sim é bastante comum e pelo que o Adilson viu no Sandero, o câmbio vai dar serviço de troca de óleo e troca de embreagem porque é um câmbio bem resistente e se o dono do carro for cuidadoso, vai usar o carro sem ter problemas por bastante tempo. Andando com o carro e fazendo as trocas de marchas, dá para perceber que as trocas são precisas além do pedal da embreagem ser bem leve, isso traz mais conforto para quem dirige por muito tempo, principalmente na cidade, onde o trânsito obriga o motorista a ficar desengatando e engatando as marchas com frequência.

Tem um item que passa despercebido durante as manutenções periódicas que é a troca do fluido da embreagem. No sistema de acionamento do conjunto da embreagem, tem o reservatório do fluido que geralmente fica junto com o reservatório do fluido de freios, tem também o cilindro mestre que fica conectado ao pedal da embreagem e o cilindro auxiliar ou escravo que fica na região do câmbio e atua no acionamento da embreagem para trocas de marchas, este é o lembrete do Adilson. 

Suspensão, freios e direção 

Lembram no início que o Mauro se queixou da pista de teste que ele perdeu, mas não foi por isso que ele deixou de testar e perceber que o Sandero é bem equilibrado em curvas e nos pisos com irregularidades. Pensando na manutenção dos componentes da suspensão, o acesso não tem obstáculos que atrapalhem e por isso o serviço pode ser feito com maior rapidez. 

Além do serviço de troca de componentes da suspensão, o Mauro disse que é importante finalizar com o alinhamento e até o balanceamento das rodas para que o serviço fique 100% garantido.

O Eric fez a gentileza de colocar o Sandero no elevador para uma melhor visualização dos componentes. A suspensão dianteira é do tipo independente, McPherson com braço triangular inferior, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra antirrolagem que fica totalmente exposta, e a sua remoção é superfácil.

Na parte traseira tem o eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra antirrolagem integrada ao eixo.

A direção tem ajuste de altura para o conforto do motorista, é composta pelo pinhão e cremalheira, tem assistência eletro-hidráulica que se ajusta conforme a velocidade do carro. Para completar o diâmetro mínimo de giro, é preciso 10,6 metros.

O sistema de freios dianteiros é equipado com discos ventilados de 258 mm e na traseira ainda usa tambores com lonas e o diâmetro é de 203 mm. O sistema hidráulico é duplo e em diagonal e está equipado com o sistema ABS que é item obrigatório. Mesmo o Sandero Zen sendo o modelo mais básico, o Adilson gostou da dirigibilidade, o carro é silencioso e confortável, mas a melhor parte é a facilidade que o carro oferece para fazer a remoção e instalação de componentes, principalmente na parte debaixo do carro, que é a que mais dá serviço para as oficinas. 

Elétrica, eletrônica e conectividade 

O Sandero Zen é um modelo de entrada e mesmo assim possui alguns sistemas que o colocam em uma posição melhor quando comparado com outros modelos da mesma categoria.

O sistema de injeção eletrônica ainda é com partida a frio que utiliza o tanquinho de gasolina, mas vamos ver a lista dos componentes e sistemas.

Airbags motorista; Airbags passageiro; Airbags laterais; Freios ABS; Distribuição eletrônica de frenagem; Start & Stop; Ar-condicionado; Travas elétricas; Vidros elétricos dianteiros; Central multimídia; Rádio FM/AM; Entrada USB; Entrada auxiliar;

Desembaçador traseiro; Computador de bordo.

O sistema Start & Stop foi o que mais chamou a atenção dos nossos três reparadores contemplados para esta avaliação pelo fato do carro ser o modelo básico, mas um recurso tecnológico como esse é capaz de elevar o interesse dos clientes pelo carro que também contribui para o número de carros vendidos.

Certamente o carro precisa de mais cuidado para manter o sistema funcionando, visto que a tecnologia da bateria EFB agora é instalada de fábrica em vários veículos Start Stop de nível básico

Esse tipo de bateria, quando comparada com a bateria comum, oferece um aumento da aceitação da corrente de carga dinâmica em mais de 170%, devido ao desenho aprimorado, aditivos de carbono especiais e separadores do tipo envelope de alta aceitação de carga.

Peças de reposição

Com exceção dos componentes da carroceria, nos quais  ocorreram as maiores modificações estéticas do Sandero Zen, a parte mecânica praticamente é a mesma e conforme as observações do Eric, do Mauro e do Adilson, não será difícil encontrar peças de reposição para este carro.

Nas autopeças, distribuidores e concessionárias é possível encontrar peças de suspensão, freios, embreagens e as demais peças necessárias para as manutenções periódicas.

A estratégia da Renault em lançar um carro novo mantendo o pacote mecânico do modelo anterior diminui custos de fabricação, o que é percebido na hora da compra do carro e pensando na reparação automotiva, também facilita o acesso às peças com preços acessíveis, o que é revertido para o dono do carro em menores custos nas revisões.  

Recomendações

Quando o carro é novo e a mecânica já é conhecida, fica mais fácil fazer recomendações, foi isso que o Mauro disse a respeito do Sandero Zen que tem um conjunto mecânico bem robusto e se o cliente seguir as recomendações que estão no manual do carro, certamente não vai ter nenhuma surpresa desagradável a respeito da manutenção.

O Eric, que tem a sua dedicação especial aos carros de origem francesa, conhece bem a mecânica deste modelo, recomenda que as manutenções sejam feitas de acordo com a recomendação do fabricante do carro e para isso, é importante que os mecânicos façam treinamentos para ter a certeza de que o serviço entregue ao cliente foi bem feito.

O Adilson recomenda que o serviço bem feito seja acompanhado de peças de qualidade, só assim o cliente vai ficar satisfeito e a oficina não vai ter que ficar fazendo retrabalhos que acabam só gerando prejuízos. Mesmo sabendo que o Sandero Zen que foi avaliado tem a mecânica conhecida e até fácil de fazer os serviços, não podemos baixar a guarda com respeito à qualidade de tudo que acontece dentro da oficina. 

Comentários