Oficina Brasil


Distribuição Mecânica dos Motores Volkswagen Família EA888, nas configurações 2.0L e 2.5L TSI 

Conheça em detalhes o eficiente sistema de acionamento do comando de válvulas por corrente que equipa modelos como o Passat, EOS, Jetta e alguns modelos Audi

Compartilhe
Por Melsi


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

A distribuição mecânica dos motores VW 2.0L e 2.5L TSI é composta por três correntes impulsionadas por engrenagens da árvore de manivelas: 

- uma corrente para o acionamento dos eixos de comandos de válvulas;

- uma corrente para o acionamento dos eixos equilibradores;

- uma corrente para o acionamento da bomba de óleo.

As correntes da distribuição, que acionam da bomba de óleo e o conjunto equilibrador, têm a mesma configuração e se diferenciam unicamente pelo número de elos.

Essas correntes são de novo desenho e livres de manutenção. São mais silenciosas, têm um rendimento mais elevado e maior flexibilidade que as correntes utilizadas até o momento, além de poderem transmitir o mesmo torque mas com uma espessura menor.

Existem três tensores e vários patins de plástico poliamida para manter o sistema de correntes com a tensão de trabalho correta:

- Um tensor hidráulico para a corrente de acionamento dos eixos comando de válvulas. 

Para sua desmontagem é necessário bloquear o seu êmbolo.

- Um tensor mecânico para a corrente de acionamento dos eixos equilibradores. 

O tensor está aparafusado ao bloco e é lubrificado com óleo.

- Um tensor mecânico para a corrente de acionamento da bomba de óleo. 

Seu bloqueio também é feito com a ferramenta apropriada.

Para ajustar o sincronismo deve-se coincidir as marcas nos pinhões com os elos escuros das correntes. Os elos escuros das correntes somente vêm de um lado das mesmas, de forma que somente existe uma possibilidade de montagem e não se tem que marcar o sentido de giro.

BOMBA DE ÓLEO

A bomba de óleo é aparafusada ao cárter superior e impulsionada pela árvore de manivelas mediante um acionamento por corrente.

A regulagem da pressão do óleo é feita no interior da bomba mediante uma válvula reguladora. Esta válvula mantém uma pressão constante no circuito e é composta de um pistão metálico e uma mola.

Uma válvula de segurança, composta por uma esfera metálica e uma mola calibrada a 7 bares, evita excessos de pressão no circuito, sobretudo, na partida a frio.

 

CONJUNTO DE RODAS DENTADAS DO VIRABREQUIM

 

A transmissão de movimento para as correntes de distribuição é realizada por rodas dentadas. 

A árvore de manivelas, as rodas dentadas e a polia poly V dispõem de um dente lateral para transmitir o torque maior do motor com um diâmetro menor dos componentes.

O dente é usinado mecanicamente, de forma que somente possa ser acoplado num ponto.

As três engrenagens acionam os eixos de equilíbrio do motor, os eixos comando de válvulas e a bomba de óleo através de três correntes.

Para que o dente não seja danificado durante a reparação das correntes de distribuição, é necessário utilizar a ferramenta apropriada.

ACIONAMENTO DOS EIXOS DE EQUILÍBRIO

Para reduzir as forças de massa de segunda ordem utiliza-se um sistema equilibrador rotacional integrado no bloco do motor. A inversão do sentido de giro de um dos eixos é feita por uma engrenagem inversora de dentes oblíquos. Os eixos equilibradores giram numa rotação duas vezes maior com relação à árvore de manivelas, acionados por uma corrente. 

A integração dos eixos equilibradores no bloco do motor, em comparação com a solução anteriormente utilizada do conjunto equilibrador rotacional aparafusado, mostra vantagens com relação a custos, pesos e resistência. 

 

CABEÇOTE DO MOTOR

 

O cabeçote de fluxo cruzado é fabricado em liga de alumínio e possui os seguintes elementos:

- uma válvula antirretorno de óleo;

- conduto do coletor de admissão dividido em uma metade superior e inferior por meio de uma placa para efeito tumble, que causa turbulência do ar na entrada do cilindro;

- uma régua de fixação do coletor do escapamento;

- oito válvulas de admissão e oito de escapamento cromadas com a região do seu assento reforçada - as válvulas de escapamento foram preenchidas de sódio;

-  as válvulas são acionadas mediante a técnica de balancins roletados (RSH);

- o eixo comando de válvulas de escape possui na sua extremidade quatro cames para o acionamento da bomba de alta pressão de combustível;


- o eixo comando de válvulas de admissão possui um variador de fase e uma roda dentada no seu centro para o funcionamento do sensor Hall G40 e;

- na fase de união com o bloco é utilizada uma junta do cabeçote metálica de três camadas.

A durabilidade deste conjunto de engrenagens e correntes depende da manutenção preventiva, principalmente da troca do óleo do motor dentro do tempo previsto pela engenharia.

 

Comentários