Reparador Diesel - Vinicius Montoia

A DAF comemora 3 anos no Brasil com aumento da produção de caminhões para quatro unidades por dia

Em parceria com o Senai, fabricante seleciona postos de serviços autorizados e oferece treinamentos, peças e suporte para as oficinas independentes escolhidas

Desde que chegou em 2013, a DAF tem aumentado o número de caminhões produzidos no Brasil. Com sua fábrica em Ponta Grossa, no Paraná, a marca atingiu crescimento de 59% em relação a 2015 e foram mais de 1.400 caminhões vendidos, sendo 436 unidades no acumulado de janeiro até julho de 2016.

A linha de produção, que passa a fazer até quatro caminhões por dia, está preparada para produzir até 10 mil caminhões por ano. O mesmo vale para a linha de motores, que foi inaugurada no final do ano passado. “Completamos três anos de operações no Brasil colhendo os resultados de uma estratégia assertiva e de um trabalho excepcional de todo o time DAF. Temos a certeza de estar criando uma base sólida para, em pouco tempo, estarmos entre as maiores fabricantes de caminhões pesados do Brasil, com produtos de alta qualidade e ideias para os negócios dos nossos clientes”, celebra Michael Kuester, Presidente da DAF Caminhões Brasil.

São produzidos no Brasil os caminhões XF105 e o CF85. O primeiro é comercializado nas versões 6x2 e 6x4, com três opções de motorização: 410cv, 460cv e 510 cv. Ele suporta até 74 toneladas.


Já o CF85, que chegou ao mercado em 2015, carrega até 56 toneladas e é vendido nas versões 4x2 e 6x2, com duas opções de motor: 360 cv e 410 cv.

VALIDAÇÃO

De acordo com a marca, desde a sua chegada ao país já foram contabilizados mais de 5 milhões de testes de rodagem em ambos os caminhões. Essa quantia se deve ao ciclo de avaliação da marca, que acontece em campo, atividades severas e com diversos tipos de climas e topografias de todas as regiões do Brasil. “O principal objetivo do teste é nos anteciparmos de qualquer imprevisto que os caminhões possam ter. Se nosso produto pode apresentar alguma falha, queremos ser os primeiros a saber e solucionar, evitando qualquer prejuízo para nossos clientes. Também, por isso, é interessante avaliarmos diversas aplicações em diferentes climas e regiões”, explica Ricardo Coelho, Diretor de Desenvolvimento de Produto.


Na visita à fábrica, é possível perceber que ainda há muito potencial para crescimento da linha. A capacidade instalada pode crescer ainda mais, conforme a demanda do mercado. Segundo o presidente da marca no Brasil, foram investidos R$ 1 bilhão na instalação e construção do projeto. Atualmente a DAF Caminhões Brasil tem 250 colaboradores em Ponta Grossa. Segundo os diretores da empresa, a marca está desenvolvendo um caminhão off-road que deve ser lançado nos próximos meses, cujo projeto custou R$ 14 milhões.

REPARAÇÃO E PARCERIA COM O SENAI

Carlos Tavares

A TRP, marca global de peças do grupo Paccar (do qual a DAF faz parte) também foi tema de questionamentos na visita à fábrica de Ponta Grossa. A marca, voltada para o aftermarket, expande os seus produtos no Brasil e passa a contar com 26 linhas com mais de 600 itens.

“Temos sempre a preocupação de ter o nosso cliente satisfeito. Itens de manutenção e reparos são sempre pesquisados e comparamos preço e qualidade. Nossos preços são extremamente competitivos, fazendo com que o cliente mantenha o caminhão em boa condição. Na Europa existem oficinas e lojas que trabalham com a bandeira TRP, de tanto sucesso que a marca alcançou”, afirmou Carlos Tavares, Diretor da Paccar Parts Brasil.

Os novos produtos da linha multimarcas são as Correias e Tensionadores. Os novos produtos são fruto de uma parceria com a Continental e Dayco. A DAF está selecionando algumas oficinas independentes para serem os seus representantes: “os postos de serviço autorizados são escolhidos pela localização deles. A estrutura e o conhecimento também são analisados na hora de escolher. Nós tivemos indicação dos nossos clientes para escolher esses cinco postos, dentro de rotas que nós não tínhamos concessionárias. A situação financeira dessas oficinas também é checada, pois nós temos uma marca sólida e eles nos representam. A partir dessa escolha nós oferecemos toda a linha de peças, ferramentas e treinamento para que esses aplicadores possam realizar o mesmo serviço que uma concessionária DAF faria”, afirmou Luis Gambim, Diretor Comercial da DAF.

Já em relação à comercialização de peças, Carlos Tavares afirma: “o concessionário fará o relacionamento com as oficinas independentes para comercializar as peças multimarcas TRP. Nós os incentivamos a fazer isso.” O curso oferecido pela DAF para as oficinas autorizadas é realizado pelo Senai: “O nosso treinamento, com as oficinas independentes selecionadas, é feito com o Senai. Nós temos os nossos instrutores e também uma parceria com o Senai de Ponta Grossa, que é uma entidade pública. Nós pensamos na expansão do curso para diminuir os custos para os nossos clientes. O concessionário/ posto de serviço autorizado de Fortaleza (CE), por exemplo, não precisaria vir até o sul para fazer o treinamento. A ideia é expandir o curso para mais três ou quatro locais estratégicos para reduzir gastos. E o Senai é a referência para esses profissionais”, completou.


De acordo com o diretor da Paccar, 70% das peças da TRP são feitas no Brasil. “A qualidade da peça tem de atender requisitos básicos para que o cliente a instale e não tenha problemas. Por isso fazemos a dupla checagem, seja a peça que vem da Holanda ou a fabricada no Brasil. Temos algumas transportadoras parceiras com as quais conseguimos validar se a aplicação vai ser a correta ou não. Por isso damos um ano de garantia, pois sabemos que não vai falhar. O mercado oferece de três a seis meses. A diferença entre a peça DAF e a TRP é que a multimarca tem uma especificação técnica um pouco menor. Ou seja, ao invés de durar 1 milhão de quilômetros, vai durar 800 mil. A peça DAF é desenhada para um período de duração mais longo. Mas só fazemos essa diferenciação para que a peça ‘caiba no bolso’ do cliente”, comentou Carlos Tavares.


De acordo com o diretor, ainda não há no país peças TRP para os caminhões DAF, apenas para as demais marcas. “Estamos no processo de validação”, finalizou o executivo.

 

comentários
Avaliar:

Comentários