Oficina Brasil


Ford lança quatro novos caminhões da linha Cargo 1419, 1519, 3129 e 3129 MIXER

A Ford está lançando quatro novos caminhões que ampliam as opções do transportador com foco na robustez e rentabilidade. De acordo com a montadora, os caminhões passam a ter maior capacidade de carga

Compartilhe
Por da redação


Avaliação da Matéria

Faça a sua avaliação

Os novos caminhões são o Cargo 1419, o Cargo 1519, o Cargo 3129, incluindo a versão Mixer. Estes novos modelos compõem a Linha Cargo 2017, com aprimoramentos desenvolvidos para otimizar tanto a capacidade de carga como a durabilidade, melhorando o desempenho da frota. “Os novos modelos Cargo estão totalmente alinhados com as atuais necessidades do mercado, em que aumentar a produtividade tornou-se vital para todos os setores de atividade, principalmente no transporte”, diz João Pimentel, diretor de Operações da Ford Caminhões. “Usamos toda a experiência da nossa engenharia para desenvolver esses veículos ainda mais robustos, confiáveis e econômicos, que vão trazer um impacto positivo na operação dos clientes.”

 

Como toda a linha Cargo, os novos modelos trazem banco com suspensão a ar de série e cabine ergonômica para aumentar o conforto do motorista. Além disso, chegam com preços muito competitivos e contam com a assistência pós-venda da Rede Ford Caminhões em todo o Brasil, com pacotes completos de serviços e estrutura de apoio.

 

Modelo de 14 toneladas

 

O Ford Cargo 1419, novo modelo médio com peso bruto total de 14.500 kg, substitui o Cargo 1319 nessa faixa com a adição de 1.500 kg. A sua capacidade máxima de tração também foi ampliada para 27.000 kg (4.000 kg a mais que o modelo anterior), otimizando o rendimento em aplicações de distribuição urbana e rodoviária de curta e média distância.

“O novo Cargo 1419 tem capacidade de carga de 9.500 kg, ou seja, leva 1.100 kg a mais que o atual modelo mais vendido do segmento. E também tem o motor mais potente, de 189 cv”, diz Flávio Costa, gerente de Marketing da Ford Caminhões.

Entre os desenvolvimentos de engenharia que permitiram essa evolução estão as longarinas feitas com aço LNE 600 e desenho especial, o novo eixo traseiro, o freio dianteiro reforçado e o conjunto de rodas com dez furos e pneus sem câmara, comunizados para a linha. O freio também traz componentes novos de maior durabilidade, que reduzem o custo de manutenção. Tanto a câmara de freio (de 20”) como as sapatas (com largura de 15x7”) são mais robusta que as usadas no modelo anterior de 13 toneladas.

É equipado com motor Cummins ISB4.5, de 4 cilindros, com potência de 189 cv (@ 2.300 rpm) e torque de 61,2 kgfm (@ 1.500 rpm). Tem transmissão Eaton de seis marchas e eixo motriz Meritor de dupla velocidade (4,45/6,36:1). Com distância entre-eixos de 4.800 mm, é indicado para aplicação em distribuição urbana e rodoviária de curta e média distância, como “milk-run”, para bebidas, material de construção e com implemento tipo baú ou carga seca.

Seu chassi reforçado tem longarinas produzidas em aço de especificação superior (LNE 600) e travessas duplas. Tem também um novo eixo traseiro de dupla velocidade mais robusto e durável, da Meritor (MS 23-235).

As rodas e pneus agora seguem o mesmo padrão dos modelos maiores da linha Cargo, permitindo a comunização na frota. As rodas são da medida 20x7,5, com dez furos (em vez de oito), com pneus 275/80 R 22,5 sem câmara. O tanque de combustível é de 275 litros, com reservatório de aditivo Arla 32 de 25 litros.

 

 

Modelo de 15 toneladas

 

O novo Cargo 1519 oferece 1 tonelada a mais de peso bruto total em relação ao modelo anterior – 15.400 kg, o maior da categoria –, mantendo o mesmo nome. Seus aprimoramentos incluem a longarina feita de aço especial com travessas duplas garantem alta resistência ao chassi LNE 600, novo eixo traseiro e novas suspensões dianteira e traseira.

Seu eixo traseiro motriz, de dupla velocidade, tem relações selecionadas para otimizar o desempenho do veículo (4,56/6,21:1), junto com o motor de 189 cv e a transmissão de seis velocidades. A suspensão dianteira traz amortecedores com nova calibração, além de suportes e componentes de fixação reforçados. A suspensão traseira adota um novo conceito com molas parabólicas, em vez de molas semielípticas com auxiliar parabólico. A barra estabilizadora, amortecedores e suportes são igualmente novos. Tem capacidade máxima de tração de 27.000 kg e carga útil mais carroceria de 9.726 kg. A distância entre-eixos é de 4.800 mm.

“Além de suportar mais peso, a nova suspensão é mais simples e durável, o que contribui para tornar a manutenção mais econômica. Junto com o aumento da capacidade, esse foi um dos pontos principais buscados no desenvolvimento do veículo”, completa Costa.

É equipado com motor Cummins ISB4.5 de 189 cv (@ 2.300 rpm), torque de 61,2 kgfm (@ 1.100-2.100 rpm), transmissão Eaton de seis marchas e eixo traseiro motriz de dupla velocidade (4,56/ 6,21:1), da Meritor. Usa rodas 22,5x7,5 e pneus 275/80R 22,5. O tanque de combustível é de 275 litros, com reservatório de Arla 32 de 25 litros.

 

Novas opções 6x4

 

Com o lançamento do Cargo 3129, a Ford passa a ter a linha de caminhões 6x4 mais completa do mercado, junto com os modelos Cargo 2623, Cargo 2629 e Cargo 3133. Com peso bruto total de 30.500 kg, capacidade máxima de tração de 42.000 kg, o novo caminhão é indicado para serviço pesado, como canavieiro, madeireiro e mineração.

Ele também dispõe de uma versão preparada para betoneira, o Cargo 3129 Mixer, com escapamento vertical e tomada de força traseira, além de novo protetor do radiador. Ambos são equipados com motor Cummins 6.7 de 290 cv, com potência de 290 cv (@ 2.300 rpm) e torque de 96,9 kgfm (@ 1.200-2.100 rpm), e transmissão manual Eaton com 10 marchas à frente e 3 à ré. Seu eixo trator, da Meritor, é do modelo 50.168, de dupla velocidade (4,89:1/5,38:1). Usa rodas 22,5x7,5 e pneus 295/80R 22,5. O tanque de combustível é de 275 litros, com reservatório de Arla 32 de 50 litros.

“O Cargo 3129 combina o peso bruto total do Cargo 3133 com o motor de 290 cv e relações reduzidas para gerar maior torque e melhor partida em rampa. Assim, é ideal para aplicações que exigem alta capacidade mas não precisam de tanta potência como os modelos fora de estrada, oferecendo uma melhor equação de custo”, explica Flavio Costa.

“O desenvolvimento dos novos modelos Cargo também foi feito em parceria com fornecedores que são líderes em seus segmentos, garantindo a qualidade dos principais componentes dos veículos e do produto final”, continua João Filho. São parte desse time a Cummins (motores), Eaton (transmissões), Meritor (eixo traseiro motriz), Racine e Suspensys (suspensões), Maxion (chassi) e Master (freios).

 

Serviços pós-venda

 

A Ford Caminhões hoje está presente em todas as regiões do Brasil, através da sua rede formada por 120 distribuidores. Oferecer um serviço completo, acessível e disponível o tempo todo, com um time que acompanha e atende as necessidades dos clientes, é uma prioridade do seu trabalho.

“Mais do que vender caminhões, queremos acompanhar o consumidor durante toda a sua jornada e antecipar as suas necessidades para buscar o máximo de satisfação”, destaca Flávio Costa.

Com base nessa experiência e parceria com os clientes, a marca desenvolveu um pacote completo de serviços, tanto para frotistas grandes, médios e pequenos como para autônomos. O sistema de rastreamento e monitoramento FordTrac, por exemplo, pré-instalado de fábrica, permite desde o bloqueio até o monitoramento do veículo em tempo real.

O Ford Service oferece planos serviços que cobrem manutenção preventiva ou corretiva, de acordo com a necessidade do cliente, e o SOS Ford garante atendimento 24 horas para reparo do caminhão em qualquer lugar do País. E há ainda o Disk Ford, com especialistas sempre à disposição para tirar dúvidas dos clientes sobre os produtos e serviços da Ford Caminhões.

 Com exclusividade para o Jornal Oficina Brasil, Flávio Costa afirmou: “nós temos pacotes especiais de peças que iremos anunciar nos próximos meses. Isso evidenciará, para os consumidores, que eles têm melhores condições de conseguir comprar as nossas peças e reforçamos essa política por sabermos da qualidade dos nossos produtos. Ou seja, queremos que o reparador evite as peças paralelas e adquira as originais para aumentar a vida útil do caminhão e gerar ainda mais rentabilidade para o dono da frota. Nós trabalhamos para alimentar a nossa rede da forma mais rápida possível.”

João Pimentel complementou: “Apesar da crise, nós conseguimos aumentar a nossa venda de peças no último ano. Nós fazemos pesquisas sobre esse mercado todo mês. Acabamos de lançar um Centro de Distribuição no sul do país e com isso já temos três: “Rio Grande do Sul, São Paulo e Bahia. Quem compra um caminhão não quer ver ele parado!”, finalizou.

 

Os valores de entrada de cada caminhão são: R$ 165.900 para o 1419, R$ 171.900 para o 1519; 3129 por R$ 253.900 e 3133 por R$ 273.900.

Comentários